Preços dos lácteos têm alta

O movimento de valorização dos lácteos, iniciado em maio, se manteve em junho, segundo o Centro de Inteligência do Leite, da Embrapa Gado de Leite.

No mês as maiores valorizações ocorreram no queijo muçarela e no leite Spot, com alta de 17% sobre o mês anterior. O mercado Spot registrou alta importante devido ao período de entressafra e a própria valorização do queijo muçarela. Na comparação com junho de 2020 a muçarela subiu 35%, o leite spot 22% e o leite em pó 26%. 

O leite UHT também teve boa valorização com aumento de 9% na comparação mensal. Nos últimos dias, as cotações do UHT perderam força em função de uma demanda mais retraída. Em comparação com junho do ano passado a alta do produto foi de 16%. O litro que custava R$ 3,07 hoje está em R$ 3,55.

Projeção para junho

Para junho o preço do leite ao produtor registrou nova alta. Para o pagamento de julho, os Conseleites projetam manutenção desta trajetória de valorização do leite ao produtor. A maior alta projetada foi no Paraná, de 11,4%, seguida de Minas Gerais (8,0%) e Santa Catarina (7,0%), enquanto no Rio Grande do Sul a estimativa é de aumento de 5,3%.

Custos de produção

O aumento da oferta de grãos no mercado interno associado à valorização do real frente ao dólar contribuíram para as quedas nas cotações do milho e do farelo de soja ao longo do mês de junho. 

Com o dólar recuando 5% no mês e atingindo o menor valor desde início de junho/2020, os preços do milho caíram 8% na comparação com a média de maio, enquanto o farelo de soja teve queda de 7%. Já em relação a junho do ano passado a alta acumulada ainda é significativa. O milho subiu 94%, com a saca de 60kg em R$ 86,27 e o farelo de soja acumula alta de 34%, com a tonelada em R$ 2,317.

Fonte: Site Agrolink | Data da publicação: 01/07/2021

Deixe uma resposta