Períodos chuvosos favorecem pico populacional do psilídeo; confira orientações de manejo

No período chuvoso, é preciso ter ainda mais atenção ao greening. As chuvas, associadas ao calor, favorecem as brotações nas plantas de citros, propícias para a reprodução do psilídeo, pois são os locais preferidos para alimentação e oviposição do inseto.

Com esse aumento dos fluxos vegetativos, a população de psilídeos também aumenta, atingindo o pico populacional no final da primavera e início do verão, entre novembro e janeiro.

Portanto, durante esse período, o controle do psilídeo deve ser feito de forma rigorosa, com monitoramento frequente do inseto e controle químico adequado, respeitando a rotação de modos de ação dos produtos.

Recordes populacionais em 2020 e 2021

Dados do Alerta Fitossanitário do Fundecitrus demonstram crescimento significativo da população do psilídeo nos últimos anos – o maior patamar populacional havia sido registrado em 2020, devido às condições propícias para reprodução e dispersão do inseto (brotações, altas temperaturas e a baixa umidade). Porém, em 2021 a população de psilídeo está mais alta que a do ano passado: com o aumento de 45% das brotações até dezembro, a população do inseto teve acréscimo de 81% até agora.

Dessa forma, é importante ter atenção redobrada às estratégias de manejo. Confira algumas recomendações para lidar com o período de chuvas e com a alta população de psilídeos:

  • Reforçar as ações internas de manejo: monitoramento do inseto e controle químico

– reduzir o intervalo entre as aplicações durante o desenvolvimento das brotações para evitar a alimentação e reprodução do psilídeo no pomar (intervalo de 7 dias)

– utilizar volumes de aplicação adequados (40 ml/m³ de copa)

– preferir inseticidas de maior residual

– fazer a rotação de produtos: alternando pelo menos três modos de ação diferentes, como piretroide, organofosforado e neonicotinoide

– reaplicar inseticidas nas áreas de maior risco após a ocorrência de chuvas acima de 10 mm

  • Intensificar o manejo externo: eliminação e substituição de plantas hospedeiras do psilídeo para reduzir a migração do inseto para os pomares comerciais

Fonte: Site Fundecitrus | Data da publicação: 29/12/2021

Deixe uma resposta